setembro 2009


Depois de 2 anos e meio morando no Rio de Janeiro, no bairro que mais cresce no Estado, dormindo e acordando com barulhos de todas as máquinas necessárias para a construção e reforma de prédios e concessionárias de automóveis, além de conviver com a frenética passagem de carros nas ruas bem embaixo da minha janela, meu marido e eu resolvemos mudar de vida e decidimos ir morar num lugar mais sossegado, sem poluição e confusão de gente e de motores.

Foi então que surgiu a brilhante idéia. Muito inspirados pela novela das 6 da rede Globo, Paraíso, resolvemos ir morar na roça. Mato, passarinhos, tranqüilidade.

Pois bem, todo ia seguindo como o planejado até o terreno ao lado ser comprado e claro, o que o novo dono vai querer fazer? Obra!

Ê-ba…

Se eu estivesse com saudades das manhas da Barra da Tijuca, hoje seria um dia de glória.

8h da manhã e uma barulheira já conhecida e devidamente diagnosticada no meu arquivo auditivo de barulhos insuportáveis. A p… de uma escavadeira passeando solene no meu jardim (não era pra ser bezerros  e cabras gente?!).

 

Passarinho Grande Demais

Passarinho Grande Demais

 

Nem na roça se tem paz. A primeira Neusa já foi tomada hj, espero que seja a última!

 Mas não vou me descabelar agora. Depois que ele colocar a casinha pré-fabricada onde era o meu antigo campo de futebol, as coisas vão voltar ao normal.

 

E como tudo tem um lado positivo, Constantina estava mesmo precisando de um empurrãozinho.

Ainda não escrevi nenhuma música nesse tempo que estou morando na roça.

Este não era mesmo o objetivo inicial e eu, como tantos, sou iluminada pelos raios da inspiração musical quando estou meio pra baixo. Quando se quer escrever, por mais que saia uma bela merda, o fundo do poço – é sim!! – o melhor lugar.escrita22

Já escrevi coisas até bem alegrinhas, umas românticas (sem ser de dor de cotovelo), mas não é tão interessante.

Gostaria de dizer que todos nós nos encontramos no amor, mas é bem mais certo de nos unirmos no sofrimento.

 

A música a seguir escrevi num desses dias de tédio e insatisfação.

Quando as Sras. Fauna e Flora me inspirarem eu mostro pro cês!

Inté!

 

 

 

 

Vivo ou morto

Débora Dezerto

 

 

 

“Vivo ou morto

 

As luzes das casas

Parecem não ter fim

As construções se erguem

Sobre mim

 

As esperanças tornam-se

Ilusões

E confidências se espalham

Por outras dimensões

 

Eu quero pouco

Quero ter pra mim

Um vivo ou morto

Que me dia sim

 

Quero o bastante

Que me leve a sonhar

Que é certo o que eu

Quero encontrar

 

Mil maravilhas imaginei

Sons, curvas, malicias

Em formas eu viajei

 

Mas nada fica claro

Por que preciso encontrar

A casa do meu recanto

E então enfim repousar

 

Eu quero pouco

Quero ter pra mim

Um vivo ou morto

Que me diga sim

 

Quero o bastante

Que me leve a sonhar

Que é certo o que eu

Quero sonhar

Que é certo o que eu

Quero encontrar

Que é certo o que eu

Quero realizar”

 

Nós estamos sempre pensando nas coisas que queremos conquistar. O que vamos comprar, quantos cargos subir, promoções e reconhecimentos ganhar. Trabalhamos, estudamos por isso, sacrificamos coisas e pessoas – que muitas vezes somos nós mesmos – em prol dessa evolução.

Os últimos dois anos foram bem proveitosos pra mim. Consegui muitas das coisas que queria e não tenho nem cara de chegar pra Deus e pedir mais uma ajudinha. Agora é só agradecer, porque tudo o que posso pensar em melhorar só depende de mim. Na verdade sempre dependeu!

 Alguns podem olhar pra mim e achar estranho eu ser realizada com tão pouco. Eu não acho pouco, tenho certeza que é até muito, é mais do que eu pedi. Tenho o amor da minha vida sempre ao meu lado, saúde, tranqüilidade e o mais importante, as pessoas amadas sempre por perto e sendo recíprocas ao meu amor e carinho.

resume band

resume band

Fabi

Fabi

 

Quero agradecer aos amigos queridos que vieram passar o feriado de 7 de setembro aqui na nossa casa. A distância é muita, mas o carinho tbm é. Amo muito vcs!!!

Vivi e Ivo

Vivi e Ivo

…………………………………………………………………..

Atualizações da roça.

 Peguei o meu primeiro Bicho de Pé.

Já está limpo, mas o rombo no meu pé é nítido.

M… mesmo é saber que esse não será o último.

Bicho de Pé da Dedé

Bicho de Pé da Dedé